Eu sempre fui inquieta.

Sempre gostei de coisas bonitas; não aguentava ambientes estáticos e arrumadinhos, intocáveis.

Aos dez anos eu já mudava constantemente a arrumação do meu quarto e bem que tentava fazer o mesmo no resto da casa. Naturalmente essa idéia não era muito bem aceita então, tive que aguardar minha própria casa para desenvolver essa vocação de decoradora de interiores.

Foi um sucesso !

Minha casa estava sempre recebendo visitas e elas ficavam boquiabertas ao ver as mudanças, entre uma e outra vinda.

"Mas você é louca !", diziam, pensando que eu fazia reformas sucessivas.

Quando descobriam que tudo o que eu fazia era apenas trocar os móveis de lugar, mudar os enfeites, quadros e tapetes não por outros mas entre si, invariavelmente pediam para eu fazer o mesmo em suas casas.

Foi outro sucesso !

Comecei a ficar conhecida, como a decoradora que fazia milagres com o que as pessoas tinham e que, de custos, só tinta e mão de obra do pintor.

Não sei bem como foi, mas, de repente, a produção da RedeTV me propôs fazer um quadro no programa da Olga Bongiovanni "Bom Dia Mulher", demonstrando para sua audiência aquilo que eu fazia. Achou-se um nome ótimo, "Blitz do Reparo", e lá fiquei eu, durante três anos, comprovando como era simples ter uma casa nova em algumas horas, utilizando exclusivamente o que a dona da casa em questão já possuía, mais um pouco de cor e textura, trazidas pelo único ingrediente externo: tinta !

No fim do programa, apareciam meu nome, telefone e e-mail. Muitas pessoas me procuraram, algumas para pedir opinião; outras para eu refazer uma sala, ou um quarto; diversas - o que sempre foi um delicioso desafio - para redecorar realmente suas casas, incluindo, até, reformas estruturais.

Sem qualquer modéstia, acho que me saí muito bem !

Meus clientes fazem minha propaganda e voltam sempre, pois a idéia de mudança de decoração é recorrente e prazerosa para todas as pessoas.